Já imaginou pagar uma conta através de um cartão ou telemóvel aproximando o dispositivo do terminal de pagamento?
É essa a proposta da Visa, com a aposta em tecnologia contactless (sem contacto). Em Outubro começa a emissão massiva de cartões Visa com a aplicação payWave em Portugal. Durante os Jogos Olímpicos de Londres a Visa disponibilizou estas duas possibilidades de pagamento.
Todas as pessoas que passaram pelos jogos que tivessem cartões com tecnologia PayWave (a tecnologia presente nos cartões contactless da Visa, que permite o pagamento sem que tenha de haver contacto entre o cartão e o terminal) poderiam fazer compras na Aldeia Olímpica e em algumas cadeias como a MacDonald’s ou o Nandos espalhadas pela cidade de Londres.
Foram instalados 3 mil terminais contactless nos espaços dos Jogos.
Estava também disponível o pagamento sem contacto através de telemóvel, através de uma parceria estabelecida com a Samsung, escolhida especificamente para esta parceria por ser um dos patrocinadores oficiais dos Jogos Olímpicos.
Mas além da fabricante sul-coreana, segundo contou John White, head of marketing da Visa, a empresa está já a trabalhar com outros fabricantes como a RIM (fabricante dos BlackBerry), a Nokia, a LG, entre outros para disponibilizar serviços semelhantes.
«Até ao início de Agosto estavam já certificados pela Visa 20 dispositivos de várias marcas para poderem fazer transacções deste tipo», comentou. A Visa continua a trabalhar na certificação de telemóveis e pode consultar na net a informação sobre aqueles que estão já certificados
Este responsável acrescentou que os pagamentos através de telemóveis e cartões com chip que permitem transacções rápidas e seguras são algumas das últimas apostas da Visa.
Em Portugal ainda não há datas para os pagamentos contactless através do telemóvel, mas Andrea Fiorentino, vice presidente da Visa avançou que a partir de final de Outubro irá começar a emissão massiva de cartões Visa contactless por todos os bancos, em Portugal.
Para pagamentos até 20 euros, o plafond estipulado para os cartões com a tecnologia PayWave, não é necessário introduzir qualquer PIN. Esta é a opção tomada pela Visa na maior parte dos países europeus.
Mas há algumas excepções. Por exemplo, em Portugal e Espanha será possível aumentar o plafond dos cartões PayWave com a introdução de um código aquando da compra.
O código será introduzido no telemóvel do cliente e não no terminal do vendedor, sendo o contacto directo com o banco, ao contrário do que é hábito acontecer na actualidade.

O crescimento do mercado móvel


A aposta da Visa no mercado móvel advém do reconhecimento do potencial deste mercado. John White afirmou que a Visa está a seguir a tendência de crescimento do mercado móvel.
A introdução de chips com tecnologia NFC (Near Field Communication) nos telemóveis veio permitir realizar operações sem que haja contacto.
Assim, um telemóvel passa a funcionar como o seu porta moedas, mostrando também, através de uma aplicação onde, quando e como gasta o seu dinheiro.
«A Visa acredita que há um grande futuro no mercado móvel, com a introdução da NFC. E que há grande potencial na utilização dos telemóveis para os pagamentos, tanto online como para pagamentos usando o contactless», comentou John White.
A infra-estrutura necessária para os contactless cards é a mesma que para os telemóveis, mas implica várias mudanças.
Do lado dos vendedores e retalhistas é preciso investir na compra de novos terminais que estejam preparados para os pagamento com os telemóveis ou cartões contactless.
Do lado dos consumidores é necessário terem um cartão com tecnologia PayWave ou um telemóvel com um chip NFC.
No caso dos telemóveis, para que seja possível fazer os pagamentos sem contacto é também necessário mudar de cartão SIM.
*A jornalista viajou a convite da Visa

Fonte: SOL