O Governo alemão considerou hoje «absurda» a proposta de Silvio Berlusconi para Berlim abandonar o euro, o que para o ex-primeiro ministro italiano «não seria uma tragédia».
A renúncia à moeda única por parte da maior economia europeia seria, «pelo contrário, uma das duas possibilidades para os países do euro superarem a crise», disse Berlusconi, durante a apresentação de um livro de outro político italiano, em Roma.
Berlusconi acusou na mesma ocasião a Alemanha de ser «um país hegemónico, e não um país solidário» face aos parceiros europeus.
Convidado a comentar estas declarações, hoje, em Berlim, Steffen Seibert, porta-voz da chanceler Angela Merkel, considerou «absurda» a ideia de que a Alemanha poderia deixar o euro, e de que isso não seria um drama para a Europa, escusando-se, porém a fazer mais comentários.
A segunda alternativa para debelar a crise na zona euro, para Berlusconi, seria o Banco Central Europeu injectar dinheiro ilimitadamente nos países da moeda única, como faz a reserva federal norte-americana.
O político italiano responsabilizou ainda a Alemanha pela política de austeridade na Europa, «que cria um clima de insegurança e medo e empobrece os países».

Fonte: Lusa/SOL