Ília Ponomariov, do Partido Rússia Justa, na Duma Estatal (câmara baixa do parlamento russo), foi esta sexta-feira privado de usar a palavra durante um mês, nas sessões parlamentares por "insulto aos deputados".



A decisão sobre um dos mais conhecidos deputados da oposição foi apoiada por 297 dos 450 membros da Duma e prevê que Ponomariov não use da palavra nessa câmara entre 16 de Outubro e 16 de Novembro.

Os deputados dos partidos Rússia Unida e Liberal-Democrático tinham apresentado uma queixa contra o deputado, que, numa das sessões parlamentares, ter utilizado a expressão "vigaristas e ladrões".

A expressão "vigaristas e ladrões" foi pronunciada pela primeira vez em Fevereiro de 2011 por Alexei Navalnii, conhecido advogado que apresenta denúncias sobre casos de corrupção, tendo em vista o Partido Rússia Unida, dirigido pelo Presidente Vladimir Putin e o primeiro-ministro Dmitri Medvedev.

"No dia 13 de Julho, o vosso humilde servo, ao discursar desta tribuna, durante a discussão da lei que castiga a difamação, disse: 'Estimados vigaristas e ladrões, peço-vos para não apoiarem esta lei'", declarou Ponomariov, em sua defesa, sublinhando não ter qualquer alvo concreto.

"Chegou ao ponto de, quando na minha terra natal, a região de Novossibirk, o nosso partido Rússia Justa disse que queremos viver na Rússia sem vigaristas e ladrões, a comissão eleitoral proibiu-nos de falar, alegando que essa expressão é propaganda contra o Partido Rússia Unida", acrescentou o deputado.

O presidente da Duma, Serguei Narichkin, afirmou que se tinha enganado ao esperar que o deputado "encontrasse coragem para pedir desculpa aos colegas".

"Eu começarei a ficar calado de forma a que eles se arrependam. O silêncio será extremamente convincente e, com a vossa ajuda, muito barulhento", prometeu Ponomariov, à rádio Kommersant FM

cm