Operação incidiu na falta de pagamento de portagens. Condutores ficaram surpreendidos .



Os militares da GNR, em conjunto com Ascendi, detectaram durante a manhã de ontem mais de cem condutores que tinham o pagamento de portagens em falta. A acção de fiscalização levada a cabo na saída de Teivas, em Viseu, é inédita no País.

"Foi a primeira vez que a Ascendi se juntou à GNR para combater a falta de pagamento. Estamos convencidos que a situação de crise ainda não interfere com o pagamento de portagens, mas temos de actuar", disse ao CM fonte da Ascendi.

A acção começou às 07h45 e durou cerca de três horas. Centenas de condutores pararam e, enquanto mostravam os documentos aos militares do Destacamento de Trânsito da GNR de Viseu, os fiscais da Ascendi introduziam a matrícula no sistema e averiguavam se a situação de pagamento do condutor estava ou não regularizada.

Alguns condutores mostraram-se surpreendidos com a acção de fiscalização e iam dando todo o tipo de justificações para explicar o motivo do não pagamento das portagens.

"Passei nas portagens da A25 em Agosto e Setembro. Já tentei pagar nos CTT mas o sistema não reconheceu a matrícula pois é estrangeira", explicou Paulo Tavares, um emigrante na Suíça, de 40 anos, que foi um dos condutores fiscalizados.

Ao que o CM apurou, há por exemplo camionistas estrangeiros que nunca pagaram portagens, porque o sistema não está preparado para aceitar pagamentos com alguns tipos de cartões. Há condutores que têm dívidas de mais de 5 mil euros por liquidar. "Achamos que a operação conjunta correu muito bem. Vai servir de exemplo e os condutores vão passar a mensagem", explicou o responsável pela operação, 1º sargento Martins.

Durante a acção, foram ainda detectados mais de dez carros sem seguro e inspecção.

cm