A Câmara de Famalicão inaugura esta sexta-feira o Parque da Devesa, um espaço verde com 27 hectares que era "sonhado" há mais de 40 anos e que significou um investimento superior a 18 milhões de euros.



Em comunicado, a Câmara sublinha que esta é "uma das mais importantes obras realizadas na região nos últimos anos".

O Parque da Devesa conta com a Casa do Território, um espaço cultural e histórico que inicia a sua actividade, com uma exposição de enquadramento histórico do espaço em que o parque está construído.

Está igualmente dotado de um anfiteatro ao ar livre e de uma unidade de Educação Ambiental, recebendo o Centro de Estudos e Actividades Ambientais da Câmara de Famalicão.

O projecto significou o "renascer" do Rio Pelhe, "outrora votado ao abandono e à poluição e agora recuperado e despoluído para ser devolvido aos famalicenses".

O rio alimenta um lago, criado artificialmente.

O parque está também dotado de um restaurante e uma cafetaria, instalações sanitárias e um edifício de apoio técnico.

Foram construídos vários trilhos, pontes sobre o Rio Pelhe e espaços de lazer.

O parque é servido por três novos parques de estacionamento, com mais de 400 lugares gratuitos.

As acessibilidades ao "pulmão verde" de Famalicão foram melhoradas, com a construção de uma nova alameda e requalificação de outras vias, intervenções que não só enquadram melhor o parque no meio urbano em que se insere como também facilitam a mobilidade no centro de Famalicão.

Além da Câmara, que liderou todo o processo, e da Cooperativa de Ensino Superior, este projecto contou com várias parcerias, entre as quais a da Cooperativa de Ensino Superior, Politécnico e Universitário (CESPU), que construiu um dos parques de estacionamento.

Outros parceiros foram a Agência para o Desenvolvimento Regional do Vale do Ave, que realizou acções de sensibilização ambiental, e a Associação dos Moradores das Lameiras, cujo bairro sofreu várias acções de requalificação e sensibilização no sentido de se transformar num "Ecobairro".

O Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal requalificou o seu edifício, situado na orla do parque, e criou o Espaço da Indústria Interactiva, disponível para complementar as acções de educação que decorrerão no novo espaço verde.

cm