Um artigo na revista do American Enterprise Institute (AEI, influente 'think tank' da direita norte-americana) descreve a proposta de reduzir a taxa social única (TSU) como «um autogolo» do Governo.
«O Governo parece estar a caminho de agravar os problemas económicos e políticos do país ao propor uma má solução para a perda de competitividade», escreveu Desmond Lachman, investigador do AEI, na revista 'online' "The American".
O AEI é um dos institutos mais influentes no pensamento político dos EUA, assumindo uma perspetiva de direita. Esteve particularmente ligado à política externa dos governos de George W. Bush. Várias figuras associadas ao AEI, como Richard Perle, Paul Wolfowitz ou John Bolton, tiveram cargos nas administrações de Bush.
O artigo sobre a TSU, datado de 20 de setembro, critica a proposta (entretanto abandonada) de mudanças às contribuições para a Segurança Social, argumentando que «a última coisa de que Portugal precisa agora é de mais cortes substanciais à procura agregada».
Desmond Lachman, um britânico que foi diretor do banco de investimentos Salomon Smith Barney, compara a proposta do Governo «à ‘poll tax’ proposta por Margaret Thatcher no Reino Unido em 1989, que tantos custos políticos teve» para a então primeira-ministra inglesa.
No entanto, afirma o investigador do AEI, «o aspecto mais preocupante desta proposta é que faz muito pouco sentido em termos económicos».
O Governo propôs no início deste mês uma redução de 5,75 pontos percentuais na contribuição das empresas para a Segurança Social acompanhada por um aumento de sete pontos na contribuição dos trabalhadores. O Executivo esperava que a medida resultasse numa redução do desemprego.
Lachman conclui o seu artigo escrevendo «esperemos que o Governo português mude de ideias sobre esta proposta», o que de facto acabou por acontecer.

Fonte: Lusa/SOL