O clima de insegurança estava instalado na população de Évora muito por culpa de um gang de jovens assaltantes residentes num dos bairros problemáticos da cidade. Não havia semana sem que a PSP registasse roubos por esticão – sobretudo a idosos –, assaltos em interior de viaturas e em residências, de onde levavam ouro, televisores e dinheiro. Mas a detenção dos seus elementos, no Verão de 2011, fez a população respirar de alívio.



"As pessoas sentiam-se inseguras. Com a detenção do grupo, os idosos passaram a andar na rua com tranquilidade e o número de assaltos baixou significativamente", refere o presidente da Junta de Freguesia de Horta das Figueiras, Baltazar Damas.

No primeiro semestre deste ano, em comparação com igual período de 2011, os furtos em residência com arrombamento diminuíram 41,5%. Os roubos por esticão caíram para metade. "Ao contrário do que era expectável devido à crise, não temos criminalidade violenta. Os furtos em estabelecimentos são de baixo valor e, em 2012, não há registo de assaltos a ourivesarias, farmácias ou escolas", afirma o comandante da PSP de Évora, intendente Raul Glória Dias, que aponta o tráfico de droga como flagelo a combater.

Nos primeiros seis meses deste ano, foram detidos quatro traficantes, um aumento de 400% em relação a 2011. Há um mês foi desmantelado um grupo de oito homens, com idades entre 19 e 35 anos, na posse de cocaína, liamba e haxixe, no valor de oito mil euros, e de diversas espingardas, pistolas e armas brancas. Três ficaram a aguardar julgamento em prisão preventiva.

cm