Cuidava do sobrinho, de dez anos, que é surdo e está acamado, e não deixava que fossem outras pessoas a tratarem dele. O homem, de 45 anos, aposentado, aproveitava o tempo que passava com o menor em casa, no Porto, para abusar sexualmente daquele. Anteontem, o agressor – que a família suspeita ser seropositivo – voltou a atacar. Foi surpreendido em flagrante pelo outro irmão e acabou detido.



A vítima vive com o agressor e com a avó. Além da surdez, o menino tem deficiência física e mental. Dormia na cama com o tio, e era este que cuidava do menor e lhe trocava as fraldas, quando não estava a trabalhar no estrangeiro.

A família começou a reparar que a criança ficava mais agitada depois de estar com o agressor. Mas só anteontem é que descobriram o motivo. Quando o irmão de ambos, de 36 anos, entrou em casa, viu o familiar a forçar a vítima a fazer sexo oral. Chocado, chamou os familiares e a PSP. O rapaz foi levado para o hospital, onde foi submetido ao teste de despistagem de VIH.

A Polícia Judiciária do Porto apresentou o pedófilo a tribu-nal, tendo ficado em prisão preventiva.

cm