Quem entra ou sai da estação de comboios do Cacém não fica indiferente a dois buracos nas portas de vidro provocados por tiros. Do mesmo tipo de armas que dois homens, encapuzados, a 20 de Dezembro de 2010, usaram para assaltar a ourivesaria Luís e Cilá. Roubaram quatro mil euros em ouro. Um tipo de crime violento, que, para a PSP, diminuiu drasticamente. "O que nos preocupa são os roubos por esticão e os furtos em carros e casas. Os crimes mais violentos são esporádicos", garante o subintendente Hugo Palma, comandante da Divisão de Sintra.



O responsável da PSP admite que "há um clima de insegurança", o mesmo que leva Luís Pedroso, dono da ourivesaria assaltada, a andar atento. "Já não se ouve falar de roubos com armas, mas os esticões são uma praga. As pessoas têm medo de andar à noite. Isto é um deserto."

Para polícia e moradores, o problema reside em gangs de jovens. "Há por aí uns rapazolas de 15 e 16 anos que só fazem porcaria. Vão atrás de senhoras de idade e roubam-lhes o fio para irem vender", adianta Luís Lourenço, de 68 anos, proprietário do café Francesinha. "O Cacém não está mal de segurança, melhorou nos últimos anos. Tem mais fama do que outra coisa."

Com um total de 120 agentes, distribuídos pelas esquadras do Cacém, Mira Sintra e São Marcos - a zona só tem actualmente, apurou o CM, um carro-patrulha disponível para 80 mil pessoas. "Confirmo", disse o subintendente Palma. "Mas temos as viaturas da Investigação Criminal, das Equipas de Intervenção Rápida e o apoio de carros das esquadras vizinhas".

"TÊM UMA IDEIA ERRADA DO CACÉM": Subintendente Palma, Comandante da PSP Sintra

Correio da Manhã - Há moradores que têm medo de sair à noite. O que pensa disto?

Subintendente Palma - Digo que existe mais probabilidade de serem roubados de dia em plena hora de ponta, quando se regista mais crime, do que à noite.

- As pessoas facilitam muito?

- Um pouco. Já fizemos campanhas de sensibilização contra o uso de ouro, mas as pessoas mais velhas continuam a usá-lo, o que as torna em potenciais vítimas de esticões. E depois também há quem deixe janelas de casa abertas e as portas só no trinco.

- Existe um sentimento de insegurança?

- Algum, mas comparado com outras zonas, o Cacém até é uma área relativamente segura. É mais fama, as pessoas têm uma ideia errada. Mas quanto maior a densidade urbana, mais crime há.

cm