A ex-mulher de João Caetano, espancado até à morte em Maio de 2010 na sua casa, na Praia de Mira, tinha prometido 150 mil euros a um grupo de romenos para que matassem o homem. Mas só pagou 20 mil e fugiu para França, tendo começado a ser alvo de extorsão por parte dos que executaram o crime. Todos acabam de ser acusados pelo Ministério Público de homicídio qualificado. Os cinco homens respondem ainda por tentativa de extorsão.


Romeno pago para matar

Maria Tomásio, 58 anos, vendia enchidos e conheceu os homicidas em feiras. Contratou-os por 150 mil euros para matar o ex-marido por causa da partilha de bens. Mas acabou por pagar--lhes apenas 20 mil. As entregas foram feitas por mais do que uma vez em sacos onde também colocava chouriças. Na tentativa de a obrigarem a pagar a totalidade do montante acordado, o grupo chegou a deixar bilhetes na caixa de correio a avisar: "Fugiste mas hás-de pagar o que fizeste". Uma segunda carta foi enviada para os filhos de Maria Tomásio a dizer que mataram o pai e que a mãe também estava envolvida. Faziam ameaças e exigiam o pagamento.

Inicialmente, a filha da mandante também foi implicada mas não foram reunidas provas de que estivesse envolvida, pelo que foi libertada.

cm