Francisca Maria, de 89 anos, ganha uma pequena reforma de cerca de 300 euros e levou a vida toda para conseguir amealhar 5 mil euros. Mas bastaram poucos minutos para dois burlões deitarem a mão às suas poupanças.



A idosa, residente no Rogil, concelho de Aljezur, estava na cozinha a fazer uma sopa, quando dois homens engravatados e bem-falantes lhe bateram à porta, na quarta-feira. "Eles disseram que eram médicos e que a minha mãe podia ter acesso a medicamentos sem pagar nada, durante um ano, sendo apenas necessário que fosse buscar o bilhete de identidade para registarem os seus dados", explica ao CM Firmilindo Gonçalves, filho da vítima.

Enganada pelo ar respeitável dos dois desconhecidos, que aparentavam ter entre 45 e 50 anos, Francisca Maria dirigiu-se ao quarto para ir buscar o documento que lhe fora pedido. Mas, quando reparou, tinha um dos homens junto de si. "Ele perguntou-lhe se sabia que o euro ia desaparecer de circulação e mostrou umas notas que seriam aquelas que o iriam substituir", continua Firmilindo.

A idosa respondeu que não ouvira falar de nada, mas o burlão conseguiu dar-lhe a volta. Acabou por convencer a vítima a entregar-lhe todo o dinheiro que conseguira poupar, para que fosse trocado por notas novas. Com os 5 mil euros na mão, disse que ia ter com o colega, que estava fora da casa, para este registar tudo, como manda a lei.

Francisca Maria, menos lesta de movimentos, seguiu o falso médico, mas quando chegou ao exterior da casa já este estava num carro, azul escuro, com o comparsa ao volante. A dupla fugiu com todo o dinheiro.

cm