Vaticano: Sentença no caso ‘Vatileaks’
Mordomo do Papa 18 meses na prisão


O ex-mordomo do Papa que roubou e divulgou segredos do Vaticano foi ontem condenado a 18 meses de prisão. No entanto, Bento XVI poderá perdoar Paolo Gabriele, tendo em conta os seus bons serviços durante seis anos no círculo restrito do Sumo Pontífice e o arrependimento que demonstrou.

O tribunal teve igualmente em consideração estas atenuantes, e ainda o facto de Gabriele não ter antecedentes criminais, para reduzir a 18 meses de prisão domiciliária a pena de três anos de cadeia pedida pela acusação.

Na declaração final do julgamento iniciado no sábado passado, o mordomo afirmou-se inocente e justificou-se: "O que sinto com mais força é a convicção de que agi exclusivamente por amor, um amor visceral, pela Igreja de Cristo e pelo seu representante visível."

Recorde-se que Gabriele admitiu divulgar os documentos secretos por ter visto "o mal e a corrupção na Igreja", algo que estava a ser ocultado do Papa.

A sentença pretende encerrar o chamado ‘Vatileaks’, mas teme--se que os 20 cúmplices que o mordomo inicialmente denunciou, mas em tribunal disse não existirem, venham a causar novos embaraços.

C. da Manha