Lisboa: Confrontos com PSP em manifestação junto ao Parlamento
Sete anarcas presos em ataque à pedrada


Capacetes pintados de preto, gorros passa-montanhas a cobrir a face e pedras na mão. Foi assim que se apresentaram, entre centenas de manifestantes nos confrontos com a PSP, anteontem à noite, junto à Assembleia da República, Lisboa. Sete pessoas acabaram detidas, entre elas três com ligações ao movimento anarca de Lisboa, RDA69 – Regueirão dos Anjos 69 –, outras de um grupo organizado de extrema -esquerda da zona de Setúbal.

Pelo menos um dos detidos é também membro de uma claque do Sporting – o Grupo 1143. Um agente da PSP ficou ferido num braço e numa perna, quando consumava uma detenção.

A manifestação ‘Invasão da Assembleia’ foi convocada através da rede social Facebook, tendo cerca de nove mil pessoas mostrado intenções de participar. No entanto, apenas cerca de 500 pessoas marcaram presença pelas 16h00 de sexta-feira junto ao Parlamento, muitas com ligações a grupos anarco-libertários das duas margens do Tejo.

À semelhança do que já tinha acontecido na manifestação antitroika de 15 de Setembro, a PSP notou que, aliados a grupos radicais, compareceram jovens dos bairros problemáticos das zonas de Lisboa e Setúbal. Além dos sete detidos, foram identificadas 10 pessoas. Uma delas é um rapaz de 15 anos apanhado a atirar uma garrafa de vidro contra polícias. Se já tivesse 16 anos, idade da maioridade legal, o adolescente tinha sido detido.

Os confrontos com a polícia começaram pelas 19h00, com o derrube de grades de segurança e arremesso de garrafas de vidro. Os sete detidos, com idades entre os 20 e os 45 anos, serão amanhã julgados sumariamente na Pequena Instância Criminal de Lisboa, por resistência e coacção sobre funcionário.

A PSP apreendeu três lenços, uma máscara, uma camisola e um gorro passa-montanhas.

C. da Manha