Pelo menos quatro agentes da esquadra da PSP do Pragal, em Almada, recusaram-se na quinta-feira a iniciar um turno de trabalho na rua, contestando a falta de radiotransmissores.



Ao que o CM apurou, o protesto ocorreu antes do início do turno – entre as 16h00 e as 20h00. Fonte da polícia explicou que a PSP tem tido cada vez menos necessidade de rádios desde que o novo sistema de comunicações SIRESP foi implementado. Assim, na quinta-feira, não haviam rádios suficientes na Divisão da PSP de Almada para todas as patrulhas.

O protesto dos quatro agentes policiais que iriam entrar à patrulha no Pragal foi imediato – e só ao princípio da noite, depois de ter sido encontrada uma solução – que passou pela transferência de rádios de outros locais para a esquadra do Pragal – é que os agentes da PSP aceitaram começar a trabalhar na rua.

cm