Jeremias Resende e Manuel Nascimento passaram o dia juntos a beber. Até que à noite, ao regressarem a casa, envolveram-se numa discussão e Jeremias, brasileiro, assassinou o amigo à paulada e abandonou- o num pinhal em Porto Liceia, Figueira da Foz. Oito meses depois, o Ministério Público acusou-o de homicídio qualificado.



Tudo aconteceu a 5 de Fevereiro deste ano. Era domingo. Jeremias, de 44 anos, e Manuel, de 62, encontraram-se na feira da Tocha, Cantanhede. A acusação refere que deambularam por vários cafés, em diferentes concelhos, e consumiram muito álcool.

Ao anoitecer, quando iam os dois de carro, começaram a discutir por razões que o próprio arguido nunca conseguiu explicar. A discussão subiu de tom e os dois acabaram por sair do carro, e começaram à pancada. Rebolaram para o pinhal e desferiram vários murros um ao outro. Até que Manuel caiu inanimado após ter sido atingido com um murro na face.

Nesse momento, Jeremias arrancou um pau de eucalipto e espancou-o no crânio e na cara. Abandonou o corpo e levou o carro da vítima, que depois abandonou numa estrada florestal em Catarruchos, Montemor-o-Velho. Daí seguiu a pé para casa da namorada. Está em prisão preventiva.

cm