Acolheu em casa dois homens mas viu-se obrigado a mandá-los embora e a trocar as fechaduras. Foi ameaçado e perseguido pela dupla que levou dinheiro


Joaquim Azevedo foi surpreendido em casa pelos homens que perseguiam o seu inquilino

José entendeu dar abrigo a dois amigos apenas por alguns dias, mas os homens não queriam ir embora e o operário fabril de 52 anos viu-se obrigado a mudar as fechaduras da casa. Revoltada, a dupla voltou, anteontem à tarde, à habitação, na travessa do Barroso, em Paços de Brandão, Santa Maria da Feira, e rebentou-lhe as portas. José fugiu, mas os ladrões perseguiram-no com uma faca e levaram da residência 350 euros e o telemóvel.

"Ao final da tarde, fui surpreendido por um homem armado com uma faca aos gritos no meu pátio, à procura do meu inquilino", explicou ao CM o senhorio de José, Joaquim Azevedo, para a casa de quem a vítima fugiu, escondendo-se no jardim, enquanto os dois homens o procuravam.

"Só quando os viu a sair é que ele me veio pedir socorro e dizia que tinha muito medo", disse Joaquim Azevedo. O senhorio assume que foi ele que pressionou José para mandar os amigos embora, depois de rumores que corriam pela vizinhança.

"Suspeitava-se de que já teriam estado presos e que estariam envolvidos em vários assaltos que têm ocorrido aqui perto e eu disse ao José que não os queria lá em casa", contou o senhorio.

No domingo, a vítima mudou as fechaduras, mas os homens não desistiram de entrar e rebentaram com portas e janelas. Surpreenderam o operário fabril quando ele descansava no sofá.

Sem capacidade para enfrentar os homens com faca, José conseguiu chegar à porta e fugir. A GNR está a investigar.

cm