Nos primeiros dias entraram os cães. Sozinhos ou em grupo, dirigiam-se aos escombros do Retail Park de Portimão, destruído pelo fogo na madrugada de 23 de Setembro, à procura de comida. Agora, passadas duas semanas, é a vez das moscas e do mau cheiro, que estão a tornar impossível a vida dos moradores da zona.





"O fedor vem sobretudo da loja do Continente, onde há muitos alimentos em putrefacção", referiram ontem ao CM vários residentes da rua do Vale da Arrancada e rua do Vale, em Chão das Donas, situadas junto ao complexo. "Indignados e preocupados" com o que consideram ser já "um caso de saúde pública," os moradores esperam "uma solução urgente".

"Aquilo tem de ser limpo rapidamente. Durante o dia é mau, mas à noite ainda é pior, com as moscas e o mau cheiro, não conseguimos estar em casa", dizem.

O Retail já foi visitado, a semana passada, pela Autoridade de Saúde, que fez uma avaliação da situação.

No entanto, neste momento, os escombros estão a ser alvo de perícias da Polícia Judiciária, que procura determinar as causas do incêndio. E, tal como o CM noticiou, isso deverá prolongar-se por mais 10 dias. Só depois se poderá proceder à limpeza.

cm