O Governo espera obter, no final do plano de privatizações, um valor acima dos 5,5 mil milhões de euros de receita estimados pela troika, revelou ontem no Parlamento a secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque.



A governante avançou que quanto ao futuro dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, ficou a garantia de que "a comissão de acompanhamento do processo de privatização dos Estaleiros foi já designada, e esse despacho do primeiro-ministro está já para publicação em Diário da República. Seguiram também para assinatura, por parte do primeiro--ministro, as propostas para as comissões especiais de acompanhamento dos processos de privatização da TAP e da ANA", explicou a governante. No caso da RTP, "a decisão não foi tomada", mas Maria Luís Albuquerque não se comprometeu com qualquer hipótese, garantindo ainda que o Governo não quer colocar o preço das empresas a privatizar como objectivo principal, mas sim salvaguardar o interesse nacional. Durante o debate, o PS considerou que o papel do consultor do Governo para as privatizações, António Borges, é inaceitável num Estado de direito.

O deputado Mota Andrade questionou "como é que alguém que exerce funções em instituições privadas, que não foi sufragado nem directa nem indirectamente pelos portugueses, pode ficar à frente de um processo de privatizações que mexe com toda a estrutura económica do País".

cm