A EDP cortou a electricidade da Esquadra da PSP no Marquês do Pombal, em Aveiro, ontem de manhã. A Direcção Nacional da Polícia assegura que o problema se terá devido a um erro resultante da mudança de titularidade do contador – que anteriormente pertencia à secretaria-geral do Ministério da Administração Interna –, e não a falhas de pagamento. O serviço foi reposto às 17h30.



Foi pelas 09h30 de ontem que dois técnicos da EDP entraram no antigo edifício do Governo Civil, onde está localizada a esquadra, e cessaram o fornecimento de energia eléctrica às actuais instalações da polícia. "Por motivos que desconhecemos e sem qualquer aviso prévio, a EDP procedeu ao corte de electricidade naquelas instalações, sendo que ao ser confrontada pela PSP quanto à mudança de titularidade enviou de imediato ao local um piquete para solucionar o problema", explicou a Direcção Nacional da PSP à agência Lusa.

Ao que o CM apurou, durante oito horas, a esquadra chegou a estar sem telefone fixo, não pôde receber queixas nem efectuar serviços como recepção de cartas de condução apreendidas e regularização de multas em atraso. Foi também dificultado o apoio às vítimas de violência doméstica.

A esquadra da PSP funciona no edifício do antigo Governo Civil. Após a extinção deste, a polícia mudou para outra ala do prédio e, consequentemente, de contador. Segundo a PSP, o pedido de alteração de titularidade foi efectuado a 28 de Setembro.

cm