Vigiaram o funcionário de uma empresa, na Zona Industrial da Maia, durante alguns minutos. Depois de o perseguirem, os dois ladrões não hesitaram. Armados, ameaçaram o homem de morte por várias vezes. Completamente aterrorizado, o empregado teve de dar todo o dinheiro que tinha, e que iria depositar no banco, anteontem de manhã, a pedido do chefe. Logo depois do assalto, a dupla pôs-se em fuga, a alta velocidade.



Ainda em choque com o roubo de que fora vítima, o homem correu para o local de trabalho. Ali, contou tudo o que se tinha passado: foi abordado por dois homens, que estavam dentro de um carro, e que ameaçaram disparar as armas de fogo que empunhavam.

Sem poder fugir, e temendo pela vida, o funcionário da empresa não teve outra alternativa a não ser entregar o dinheiro que transportava. A quantia monetária ainda não foi, porém, concretamente apurada.

A denúncia do assalto foi dada pelo proprietário da empresa directamente à Judiciária do Porto, que investiga os contornos do crime. A vítima, apesar de sobressaltada, conseguiu informar os inspectores acerca das características do automóvel em que a dupla se fazia transportar, bem como da matrícula do mesmo.

Nas imediações do local onde o homem foi roubado, ninguém se terá apercebido do crime. Apesar de ser uma zona movimentada, os ladrões agiram de forma rápida e discreta. À hora de fecho desta edição, ainda não tinham sido apanhados.

cm