"Foi com a faca porque era o que tinha na mão, senão seria com outra coisa qualquer. Nem me apercebi que a esfaqueei". Agostinho Mendes confessou ontem, no Tribunal de Santa Maria da Feira, ter matado a mulher à facada. Diz que estava "cego com os ciúmes", por uma suposta traição



O crime teve lugar a 27 de Agosto de 2011, na rua do Bairro da Cantina, em Santa Maria de Lamas. "Eu tinha uma faca na mão e, quando a vi sair de casa disparada, fui atrás dela. Ela ergueu o braço e eu perdi o controlo. Ataquei-a com a faca", admitiu aos juízes o corticeiro, de 52 anos, acusado de assassinar Maria da Glória, que tinha 46 anos, poucas horas após a cerimónia de casamento de Hugo, filho de ambos.

"Depois, um rapazito [vizinho] falou para mim e eu parei, caso contrário, não sei o que faria mais. A imagem que guardo é vê-la agarrada a uma pessoa, a esvair-se em sangue", acrescentou o homicida.

Após o crime, Agostinho Mendes entregou-se no posto da GNR, que ainda não tinha conhecimento do sucedido. "Levaram--me para uma cela e, algum tempo depois, disseram-me que estava detido. Foi também nessa altura que soube que ela tinha falecido", concretizou Agostinho.

cm