Cortaram a grade metálica que protege a montra da ourivesaria com uma tesoura hidráulica, partiram a porta de vidro e em poucos minutos fugiram, com ouro, relógios e vários objectos de prata, de valor superior a 150 mil euros.


Vasco Campos, proprietário da ourivesaria, está desolado

"Levaram tudo. Ouro, relógios e pratas. Fiquei com as montras praticamente vazias. Os prejuízos ainda não foram contabilizados, ainda vamos ver, mas são bem superiores a 150 mil euros", explica Vasco Campos, proprietário da Ourivesaria Campos, no centro da Figueira da Foz, que foi assaltada na madrugada de ontem.

Os alarmes dispararam pelas 03h30. "Eles sabem bem o que fazem. Cortaram a grade, partiram a porta de vidro e só o alarme de presença é que accionou. Em menos de cinco minutos limparam tudo. É o trabalho de uma vida que se foi embora", explica o ourives, de 83 anos.

A Ourivesaria Campos não tinha seguro. "Há três anos também fomos assaltados. Ainda não paguei metade dos prejuízos desse assalto e, agora, acontece isto. Ao ponto a que este País chegou, onde não há segurança, não há polícias nas ruas. Os seguros são caríssimos e quase nenhuma ourivesaria tem. Mesmo que tivéssemos os melhores sistemas de segurança, os ladrões entravam e levavam tudo", diz.

De acordo com o proprietário, seriam pelo menos três os homens que consumaram o assalto. "No mínimo seriam três pessoas para fazerem isto. Na vizinhança ou na rua ninguém viu nada, e esta zona costuma ser movimentada. Isto foi um trabalho feito por profissionais. Quando chegaram aqui já sabiam bem o que queriam e o que vinham fazer. Levaram tudo", explica o proprietário.

A PSP da Figueira da Foz foi alertada para o assalto pela empresa de segurança, mas, à chegada, a polícia já não encontrou ninguém no local. A PSP tomou conta da ocorrência e investiga.

cm