Das 33 crianças detectadas na megaoperação da GNR e SEF, executada anteontem e ontem, que permitiu desmantelar uma rede carteirista extremamente organizada, a maior parte não tem documentos.



As autoridades tentam agora apurar a origem dos meninos forçados a roubar para a máfia bósnia. Fechados em casas de recuo, mulheres e crianças só saíam para serem levadas às mais movimentadas ruas do País para roubar. Na operação, 23 pessoas foram detidas – entre as quais 11 mulheres – e foram feitas sete buscas na Margem Sul. Cem mil euros, passaportes falsos, dez veículos de alta cilindrada – entre eles um Porsche – foram alguns dos materiais apreendidos. Os detidos serão hoje presentes a tribunal.

cm