Os dois militares que lançaram o alerta da perseguição na qual morreu um homem baleado pelo GNR de Matosinhos Pedro Joel Carvalho foram apanhados a mentir ontem no Tribunal de São João Novo, no Porto. A convicção é da defesa da vítima mortal e de outro dos 4 ocupantes do carro envolvido na fuga.



Os guardas, que foram ouvidos como testemunhas, disseram no inquérito que viram todos os ocupantes do carro sem os cintos de segurança postos e abordaram-nos. Mas, como estes fugiram, lançaram o alerta. O grupo foi depois interceptado por uma patrulha em Matosinhos, na qual se encontrava o arguido Pedro Joel Carvalho.

Ontem disseram que não se lembravam. Um dos ocupantes do carro, Fábio Teixeira, chamou um de "mentiroso" na sala de audiências. A defesa pediu extracção de certidão para falso depoimento da patrulha.

cm