Os bombeiros de Guimarães resgataram nove turistas do teleférico da Penha, ao final da manhã de ontem, na sequência de uma avaria nos motores do equipamento. Só havia passageiros em duas das cabinas, o que, segundo Bento Marques, comandante dos bombeiros, "facilitou a operação de socorro".



"Numa cabina, seguia um casal da Nazaré, com uma filha de quatro anos, e na outra, seis jovens italianos, estudantes de Engenharia Civil na Universidade de Aveiro", explicou Bento Marques ao CM. O comandante assegurou ainda que toda a operação decorreu de forma tranquila, sem qualquer sinal de pânico por parte dos passageiros retirados das cabinas.

"Quando o teleférico parou, contactámos o número indicado na cabina; disseram-nos que iríamos ser retirados, o que aconteceu", disse Hélder Cunha, acrescentando que a filha, de quatro anos, encarou a situação como "uma nova diversão".

"Nós até pensávamos ir a um parque radical e, desta forma, poupamos tempo e dinheiro", acrescentou Hélder Cunha, para sublinhar que não existiu qualquer situação de pânico na sequência desta avaria no teleférico da Penha.

O mesmo foi reforçado pelos estudantes italianos, para quem os bombeiros de Guimarães demonstraram "muita bravura e um grande domínio de situações complexas como esta".

Os cerca de vinte bombeiros utilizaram uma auto-escada para aceder às cabinas e, depois, retiraram os passageiros com recurso a cordas. A operação começou às 11h40 e terminou duas horas depois. A avaria do teleférico foi, entretanto, reparada.

Este foi já o segundo resgate no teleférico da Penha. O primeiro ocorreu em Abril do ano passado, quando foi necessário retirar 40 pessoas das cabinas .

cm