Armando Santos, conhecido por ‘Nito’, queria assaltar a casa da ex-namorada e, para tal, delineou um plano: atraiu-a para um falso encontro e, enquanto a mulher o esperava no McDonald’s de S. João da Madeira, o jovem de 24 anos roubava-lhe várias peças de ouro da residência.



Este foi apenas um de vários crimes protagonizados por ‘Nito’ que – juntamente com quatro cúmplices – vai ser julgado este mês no Tribunal de S. João da Madeira. O grupo está acusado de um total de nove furtos qualificados a casas e estabelecimentos comerciais.

"Preciso urgentemente de falar contigo porque querem fazer-te mal", disse ‘Nito’ à ex-namorada, via telefone, a 25 de Março de 2011. Em desespero, a mulher foi para o local marcado, enquanto o ladrão levava as várias peças de ouro que já sabia que se encontravam na residência da ‘ex’, com quem tinha mantido um curto relacionamento. Além deste, ‘Nito’ ainda faria mais três assaltos sozinho.

Contudo, contou com a ajuda de quatro cúmplices – com idades entre os 22 e os 27 – quando decidiu atacar a casa de um empresário abastado, a 26 de Dezembro, também em S. João da Madeira. Partiram o vidro de uma janela e entraram na residência: roubaram um cofre com 75 mil euros em dinheiro e ouro, computadores e vários outros objectos. No total, 130 mil euros de prejuízo para a vítima.

O roubo milionário foi o último protagonizado pelo grupo, que viria a ser detido pela PSP, dias depois, já em Janeiro de 2012.

cm