Emília Sousa, de 40 anos, e os filhos, de 14 e 15 anos, viveram momentos de terror, a 5 de Fevereiro do ano passado, em Vila Boa do Bispo, Marco de Canaveses. António Conceição chegou a casa bêbedo – tinha 3,54 g/l no sangue - e tentou estrangular a mulher com uma corda. Emília defendeu-se e, com a ajuda dos filhos, retirou a corda do pescoço e colocou-a no marido, apertando-a. Caíram ao chão, e António bateu com a cabeça numa pedra. A mulher está acusada de homicídio qualificado



Emília foi libertada depois de cometer o crime, uma vez que o juiz entendeu que agiu em legítima defesa. Na acusação, o Ministério Público tem, no entanto, um entendimento contrário e diz que a mulher apertou a corda em volta do pescoço do marido com uma clara intenção de matar.

A defesa da arguida, que era vítima de maus tratos por parte do marido há mais de 14 anos, já deixou bem claro que não concorda com a qualificação jurídica do crime, e avançou com um pedi-do de abertura da instrução do processo.

A notícia de que foi acusada por homicídio qualificado deixou a arguida em estado de choque, dado que teme perder a guarda dos dois filhos.

Os menores, que no dia do crime acordaram com os gritos de socorro da mãe, estão a ser acompanhados por um psicólogo desde a morte do pai.

cm