O julgamento do caso «Prestige» arranca esta terça-feira, num tribunal galego, dez anos depois do acidente com a embarcação junto à costa da Galiza.

Serão julgados quatro indivíduos por responsabilidades na catástrofe, nomeadamente três membros da tripulação e o antigo diretor-geral da marinha mercante espanhola.

O navio liberiano «Prestige» foi apanhado numa tempestade ao largo do Cabo Finisterra, no dia 13 de novembro de 2002, e sofreu um rombo de 35 metros no casco, derramando mais de 50 mil toneladas de combustível.

As consequências ecológicas do acidente não ficaram circunscritas à Galiza, estendendo-se ao resto do norte de Espanha, norte de Portugal e costa francesa, e o impacto económico foi estimado em 4.120 milhões de euros.



lusa