Os processos de 145 arguidos por corrupção ativa em casos de emissão de cartas de condução foram suspensos provisoriamente.

De acordo com a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, foi determinada a suspensão provisória do processo relativamente a 145 arguidos, tendo estes sido acusados, pronunciados e sujeitos a medida de coação restritiva da liberdade.

Os indivíduos foram acusados no âmbito de casos de emissão de cartas de condução e de navegação - casos APEC (Associação Portuguesa de Escolas de Condução), IMTT (Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres) e IPTM (Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos).

Os arguidos foram obrigados a pagar 115 mil euros a instituições de solidariedade social e a cumprir 500 horas de trabalho a favor da comunidade.




lusa