Atentando que matou embaixador na Líbia
Hillary Clinton assume culpa

A Secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, assumiu na segunda-feira a responsabilidade pelo ataque do passado 11 de Setembro ao consulado norte-americano em Benghazi (Líbia), que causou a morte do embaixador Chris Stevens.

"Eu assumo a responsabilidade", afirmou Hillary Clinton numa entrevista à cadeia CNN, em Lima, capital do Peru, onde se encontra de visita, segundo um excerto disponível na página de internet.

Questionada sobre que figura do Governo norte-americano recai o peso do atentado em Bengazhi, que matou o embaixador norte-americano, Chris Stevens, e a outros três norte-americanos, Clinton sublinhou que ela dirige o Departamento de Estado e que está encarregue de controlar a segurança nas embaixadas em todo o mundo.

A mesma responsável insistiu que nem o presidente Barack Obama nem o vice-presidente Joe Biden, estão envolvidos nas decisões, afastando por isso qualquer responsabilidade da parte destes.

"Quero evitar que isto se transforme numa espécie de emboscada política", assinalou a chefe da diplomacia norte-americana.

Na quinta-feira passada, o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, escusou-se a clarificar se Obama e Biden foram informados em algum momento das preocupações existentes sobre a segurança na Líbia.

Chris Stevens, um diplomata de carreira, estava na Líbia há menos de quatro meses depois de ter assumido funções em Tripoli em Maio.


C. da Manha