Nunca mais vou usar nada de valor no corpo quando sair à rua. Já tirei os anéis e vou tirar os brincos também." O lamento é de Natalina Bernardo, uma idosa de 80 anos que ontem de manhã foi assaltada por esticão, quando passava junto à igreja de Pechão, em Olhão. Esta foi a segunda vez que foi assaltada este ano.



Eram cerca das 10h00 de ontem quando Natalina foi deitar o lixo fora nuns contentores perto de casa. Quando passava pela igreja de Pechão, a vítima reparou num automóvel estacionado com dois indivíduos lá dentro.

"Pensei que fossem da Associação Cultural e de Apoio Social de Olhão e não liguei. Depois, um deles chegou ao pé de mim, perguntou-me onde era o Acampamento Azul, e quando estava a responder atirou-se ao meu pescoço e arrancou-me o fio de ouro", lamentou ao CM Natalina Bernardo, ainda com marcas no pescoço da violência do assalto sofrido. Os assaltantes fugiram rapidamente no automóvel, um Ford Fiesta de cor branca.

Segundo a idosa, esta foi a segunda vez que foi assaltada no decorrer deste ano. Os ladrões procuraram sempre o ouro. "Em Maio vieram dois homens à minha casa e um deles tentou vender-me laranjas enquanto outro ficou na mota. Eu disse que não queria, ele insistiu, e depois puxou-me o fio e fugiram, mas só conseguiu levar duas medalhas de ouro", recorda, realçando que entre as medalhas e o fio já tem um prejuízo de mais de mil euros. "Agora já não confio em ninguém que não conheça", afirmou a idosa.

cm