O Tribunal da Relação de Évora confirmou as penas de prisão de 23 anos e meio e de 19 anos para os dois arguidos no caso do homicídio de um cidadão estrangeiro, ocorrido em 2010, na Vidigueira.

Os arguidos foram condenados, cada um, por um crime de homicídio qualificado e por dois crimes de rapto.

O Ministério Público acusava-os ainda de profanação de cadáver, mas o tribunal absolveu-os deste crime.

O caso registou-se em novembro de 2010, na sequência de uma tentativa de extorsão a um casal, que acabaria frustrada.

O tribunal deu como provado que os arguidos conheciam a condição económica da vítima e da mulher, designadamente que o casal era proprietário de uma casa "valiosa" na Moldávia e que a mãe dela é médica naquele país.

Os indivíduos foram à casa das vítimas e atacaram-nas "violentamente" com uma barra de ferro, desferindo-lhes várias pancadas nas costas e na cabeça.