EUA: Presidente vence segundo frente-a-frente televisivo com Romney
Obama ressuscita


Depois de ter desiludido no primeiro debate, Barack Obama mostrou-se terça-feira mais agressivo e contundente no segundo frente- -a-frente televisivo com Mitt Romney e averbou uma vitória importante para tranquilizar o campo democrata e reacender a disputa pela Casa Branca.

Tal como tinha prometido, Obama surgiu a atacar o adversário por querer manter os privilégios dos ricos. Romney contra-atacou com os números do desemprego e do défice, mas não evitou dar tiros nos pés que se revelaram fatais. Como quando insistiu que o presidente demorou 14 dias a considerar o ataque à embaixada na Líbia como um ataque terrorista, obrigando a moderadora a confirmar que, na realidade, o presidente disse, poucas horas após o ataque, que se tratava de um "acto de terror".

A estocada final surgiu perto do fim, numa altura em que Romney já não podia responder, quando o actual presidente dos Estados Unidos lembrou os 47% de americanos que o republicano acusou de viverem "à custa do Estado". "Romney é boa pessoa, mas pensem a quem ele se referia: veteranos, estudantes, militares, trabalhadores. Eu quero lutar por eles", rematou o presidente que, num claro contraste com o adversário, admitiu pela primeira vez rever a lei das armas para ilegalizar espingardas de assalto.

C. da Manha