Conselho Europeu: Resgate a Espanha no topo da agenda
Merkel quer mais controlo da UE


Alemanha e França deram ontem sinais de que a reunião do Conselho Europeu pode terminar em mais um impasse. De facto, enquanto a chanceler alemã, Angela Merkel, quer o controlo europeu dos orçamentos nacionais, o presidente francês, François Hollande, insiste na prioridade da união bancária. As duas maiores potências europeias estão ainda divididas quanto a um resgate a Espanha.

Merkel entende que a Comissão Europeia deve ter poderes para vetar orçamentos nacionais que violem as normas da União Europeia (UE), algo que implicaria a revisão dos tratados europeus e que levou Hollande a lembrar: "O tópico desta cimeira não é a união fiscal, mas sim a união bancária, algo que é preciso decidir criar até final do ano."

Mas, após 30 minutos de reunião Merkel-Hollande, prévia à cimeira, fonte do governo francês afirmou, sem dar pormenores, que Berlim admite a necessidade de um calendário estrito para criar uma supervisão bancária única. No entanto, neste tema, Merkel dá prioridade à qualidade sobre a velocidade.

Espanha divide igualmente os dois países. Ao passo que Merkel evita o tema do resgate que Madrid deverá pedir muito em breve, Hollande defende que só falta definir "como é que o mecanismo de estabilidade se pode pôr em funcionamento para permitir a Espanha financiar-se em boas condições". Esse é um ponto crucial, afirma, pois o líder do governo espanhol, Mariano Rajoy, precisa de conhecer "as condições precisas" que lhe vão ser exigidas pela ajuda europeia.

C. da Manha