Pequena ilha no atlântico pertencente ao arquipelago da Madeira, separada do continente por 500 milhas nauticas. Ilha composta maioritáriamente por escarpas a norte,este e oeste, e uma fabulosa praia a sul.



Nesta ilha e de costa pesca-se principalmente à bóia e ao fundo, sendo os iscos principais dos locais a lula e o camarão para o fundo e o pão, caracol e camarao para a bóia.

É pesca tradicional também, a pesca ao bodião(veja nos açores), o qual é pescado com pequenos caranguejos, as jacas, e com canas da india ou similares, com um ***** achatado e molhado na ponta da mesma ao qual se ata a linha directamente.

Pode-se tentar outras tecnicas como o spinning ou o corrico, e tentar apanhar lirios, anchovas, bicudas, um ou outro pargo com amostras de superficie, afundantes, bucktail jigs ou zagaias.

De lancha, costuma-se pescar ás garoupas, peixe-porco e pargos principalmente. Quase sempre com lula.
Por vezes procuram-se outros peixes de fundo como chernes ou meros.

O jigging será talvez uma modalidade que trará resultados, principalmente aos lirios, bicudas e pargos, mas que poucos utilizam, talvez por não estar muito divulgada..

Ao corrico é usual capturar gaiados, presentes quase todo o ano, dourados, lirios, cavalas da india, bicudas e atuns.

Quanto a zonas de pesca, teremos para a boia toda a costa a norte, este e oeste, com excelentes pesqueiros e caminhos por vezes bem dificeis para condizer. O porto de abrigo é também um sitio bastante usual para os aficionados deste tipo de pesca e onde ainda se tem algumas boas surpresas. O principal alvo desta modalidade é o sargo, mas também se captura outras especies como o pargo, safias, tainhas, e outros como bodioes e xareus.

Para pescar ao fundo poderemos usar os mesmos pesqueiros que se usa para a boia e também a belissima praia do Porto Santo, aliando assim á pesca um bom dia de praia com a familia. Ao fundo e na praia procuraremos zonas onde as lages se juntam com a praia e assim tentaremos pescar os sargos que por lá deambulam, alguma ferreira ou choupa e com iscadas generosas poderemos tentar os predadores como o pargo, lirio ou quem sabe uma bela raia.
De embarcaçao procuraremos as pontas da ilha, sempre locais de passagem para os bons exemplares, as diversas baixas existentes em redor da ilha e os ilhéus, de seus nomes: ilhéu do Ferro, da Cal, da Fonte da Areia, de Cima, das Cenouras, de Fora e a baixa do meio que normalmente cobre de agua na maré cheia e que se situa entre o Ilhéu das Cenouras e o Ilhéu de Fora

Por norma as melhores horas seram o amanhecer e anoitecer, se coincidir com a viragem da maré melhor.
Por fim e não menos importante, aproveitar para experimentar a espetada na brasa e saborear um belo vinho do Porto Santo. (cuidado com o grau)

De salientar o cuidado que se deve ter ao descer para qualquer pesqueiro na ilha, pois a rocha no Porto Santo é toda ela muito solta e pouco firme, podendo porporcionar umas belas quedas.