Fim da linha para Miguel Vítor. O defesa central, de 23 anos, termina contrato no final da época e não vai renovar.
A relação entre o jogador, Jorge Jesus e a SAD chegou a um ponto de rotura e a saída no final da época é o cenário que se coloca.
A recente chamada de Sidnei ao onze titular, anteontem, em Freamunde (Taça de Portugal) foi o sinal mais recente de que não entra nas contas.
Quando se esperava que Miguel Vítor fosse titular, num jogo propício aos menos utilizados, Jesus decidiu deixá-lo no banco e apostar no brasileiro, que até há bem pouco tempo estava a treinar-se na equipa B, porque o próprio técnico recusou integrá-lo no plantel, no início da época - Sidnei não encontrou colocação durante o defeso e chegou com dez quilos a mais, entretanto já queimados.
Miguel Vítor recusou uma proposta de renovação apresentada pela SAD, no início da temporada.
O torriense, que ganha bem menos que Sidnei (contratado em 2008 ao Internacional de Porto Alegre e por quem as águias pagaram, em dois momentos diferentes, um total de sete milhões de euros), não aceitou um novo contrato, de longa duração, para receber o dobro do que aufere atualmente.
Ele que, recorde-se, está no fundo da tabela salarial da equipa.
Jorge Jesus nunca escondeu que Miguel Vítor não faz parte das primeiras escolhas.
Mas o defesa foi ficando, por ordens de Rui Costa (2009/10) e de Luís Filipe Vieira (2011/12 e 2012/13, depois de um empréstimo ao Leicester, de Inglaterra, em 2010/11).
Porque era preciso preencher a quota de portugueses na UEFA e na Liga e também porque os dirigentes sempre viram nele qualidades para representar a política de formação do clube.

Fonte: A Bola