Quando Tiago Reis, 17 anos, desceu do autocarro em Albarraque, Rio de Mouro, Sintra, foi logo agarrado pelo gang armado com uma faca. Seguiram-se onze horas de terror numa mata – sequestrado, roubado e torturado com um ferro a arder. Pelo meio, foi obrigado pelos agressores a ingerir bebidas alcoólicas e a consumir haxixe. Estávamos a 18 de Setembro. Mas só anteontem é que dois dos agressores foram apanhados pela PSP. Os outros três continuam a monte.



Mais de um mês depois, Elisabete Reis, a mãe da vítima, ainda está em choque. "Quando ele chegou, cheirava mal, a álcool, estava todo arranhado, com sangue, as roupas rasgadas e cheio de fome", recorda ao CM.

As razões da violência devem--se a uma dívida. "Já o andavam a ameaçar por dever 100 euros em cigarros. Foi uma vingança", acrescentou Elisabete. "Quando me consegui levantar, fui apanhar o autocarro", contou ontem ao CM a vítima, Tiago Reis, ainda com medo. "Agora parece que é o meu filho o preso" – a mãe já não o deixa sair sozinho, temendo represálias.

Um dos agressores, 18 anos, tinha um mandado de detenção – 14 meses para cumprir por roubo – e está agora na cadeia. Um outro, 19 anos, foi solto. Falta apanhar os cúmplices.

cm