Um polícia do Comando de Lisboa, que estava de folga, teve de dar um tiro para o ar para que seis homens deixassem de agredir outro, de 50 anos, anteontem à noite, na praça da Batalha, no Porto. Três dos agressores foram detidos.



Os desacatos começaram às 22h30, junto à rua de Santa Catarina, numa altura em que os estabelecimentos comerciais ainda tinham clientes. De acordo com testemunhas, a confusão começou por motivos passionais. "O grupo furou os pneus de um carro. Quando vim à rua vi um homem, com um pitbull ao lado, a rebentar o puxador da porta. Entretanto, começaram todos à porrada. Houve um tiro, mas aquele grupo ficou ali a discutir e voltou a agredir um homem caído no chão. Foi uma situação confusa", contou uma testemunha.

Os seis homens espancaram a vítima com murros. Quando o agente passava no local interveio para parar as agressões. O grupo confrontou o polícia, que teve de mostrar a arma de serviço. Como os agressores tentaram tirar-lhe a arma, o agente deu um tiro intimidatório.

O agente pediu reforços à PSP, que acorreu rapidamente ao local. Três dos suspeitos conseguiram fugir às autoridades. Um jovem de 20 anos, de Paredes, e dois homens, de 28 e 32 anos, residentes no Porto, foram detidos. O trio de desempregados vai ser hoje presente ao Tribunal de Pequena Instância.

Já o agente e a vítima sofreram escoriações e foram levados ao Hospital de Santo António. Tiveram alta pouco depois.

cm