Maria (nome fictício) tinha saído de casa há poucos minutos quando, cerca das 07h30 de ontem, um homem vestido de verde, com um sinal Stop na mão e que ela acreditou tratar-se de um GNR, a mandou parar na rua da Semouqueira, em Albergaria-a-Velha.



"Assim que baixei o vidro, ele tapou-me os olhos com a mão e percebi que era um assalto", contou a vítima. Quase em simultâneo, outro homem entrou pela porta do pendura e remexeu a bolsa da mulher, roubando-lhe cerca de 100 euros. Maria reagiu e o ladrão que a prendia junto ao volante resolveu torturá-la. "Comecei a gritar, e ele mordeu-me a boca. depois acendeu o isqueiro do automóvel e queimou--me o pescoço", referiu a mulher, de 29 anos, que sofreu queimaduras de terceiro grau. "Desesperada, fechei os olhos. Pensei que ia morrer", acrescentou.

Os dois homens e um cúmplice fugiram num carro branco – viatura que também levara a vítima a pensar que era só mais uma operação stop.

Contudo, ao início da tarde, os assaltantes voltaram a atacar nas imediações. Numa estrada sem saída, paralela à variante do Sobreiro, atacaram uma prostituta que estava com um cliente num carro no pinhal. A mulher foi agredida à coronhada, espancada, roubada e fechada, juntamente com o cliente, na traseira do automóvel onde ambos já se encontravam.

Os dois assaltos estão a ser investigados pela PJ de Aveiro.

cm