O coordenador do Bloco de Esquerda renunciou hoje ao cargo de deputado e anunciou que não vai recandidatar-se ao cargo na próxima Convenção do partido.
«Saio do Parlamento por uma razão e por mais nenhuma: Entendo, para mim próprio, que o princípio republicano marca limites à representação», disse Francisco Louçã na sua comunicação ao país.Louçã, um dos mais antigos políticos portugueses, abandona assim o Parlamento. «Ao fim de 13 anos, reclamo a liberdade de influenciar o meu tempo: É agora o momento de uma renovação que fará um Bloco mais forte», disse.
O bloquista sublinhou, porém, que se manterá activo na vida política e no Bloco de Esquerda e que sai «exactamente» como entrou: «Com a minha profissão, sem qualquer subsídio».
Louçã teceu ainda elogios aos muitos «homens e mulheres extraordinários» com que se cruzou no Parlamento e homenageou também os adversários que se batem e são fiéis aos programas com os quais foram eleitos.
No que diz respeito aos problemas actuais do país, Louçã sublinhou que estará ao lado dos portugueses a lutar contra «este orçamento que é um exercício brutal» e que passa «o limiar da vergonha». Declarou-se ainda mais uma vez anti-troika: «É preciso romper com esse memorando».
Francisco Louçã estará assim austente da discussão e votação do próximo Orçamento do Estado.

Fonte: SOL