Alexandre Manuel Gonçalves, de 36 anos, foi abalroado pela própria carrinha depois de esta ter sido atingida por outro veículo, anteontem à noite, em Aboim, Amarante. Alexandre ficou logo com a perna amputada e acabou por morrer no hospital de Amarante, onde entrou em paragem cardíaca. O condutor, de 65 anos, esperou por socorro mas só se entregou na GNR cinco horas após o acidente. Por isso não foi sujeito a teste de alcoolemia.



Alexandre morreu horas após assinar a escritura da casa nova, para onde ia viver com a mulher e a filha de dois anos e meio.

Tudo aconteceu pelas 20h00. Dono da empresa Alégio – Construção de muros e terraplanagem – Alexandre tinha acabado de fechar o portão de uma residência onde fazia obras, na rua de Aboim, a poucos metros de casa, quando o condutor de um veículo de mercadorias embateu violentamente na traseira da carrinha de Alexandre, esmagando-o contra o muro. "Com o impacto, a carrinha deslocou-se e ele ficou contra o muro com a perna amputada. Estava a sangrar muito e eu só consegui pensar em tirar a gravata e coloquei-a à volta da perna para tentar estancar o sangue. Quando lhe falava da filha para ele ter força, o Alexandre reagia", contou ao CM Cândido Pinheiro, presidente da junta da Chapa e um dos primeiros a chegar ao local. "É uma morte muito dolorosa. Ele não merecia, tinha uma paixão louca pela filha", disse Maria Helena, amiga da vítima. O funeral realiza-se esta tarde em Chapa.

cm