Cerca de 40 trabalhadores das obras da estrada IC8 em Proença-a-Nova queixam-se de não receberem salários e estão parados desde quinta-feira, adiantou esta sexta-feira Mário Carvalho, encarregado da obra, à agência Lusa.
A obra pertence à Mota-Engil, sendo que os trabalhadores em causa estão ligados à empresa Divertec e a construir uma ponte sobre o Rio Ocreza, na estrada da subconcessão Pinhal Interior que vai ligar o IC8 desde Proença-a-Nova à auto-estrada A23, acrescentou.

De acordo com Mário Carvalho, o atraso médio ronda os dois meses, mas há casos de trabalhadores que já não recebem remunerações há três meses e meio.

Segundo referiu, a situação afecta também outros empregados - pelo menos mais 40 - que já concluíram fases anteriores da construção da ponte e que, entretanto, regressaram a casa.

Os trabalhadores já se queixaram à empresa Divertec, que por sua vez diz "não receber por parte da dona da obra", a Mota-Engil, acrescenta Mário Carvalho.

Entretanto, em resposta a questões colocadas pela agência Lusa, a Mota-Engil referiu não ter "qualquer valor por regularizar".

"Os operários do subempreiteiro pararam por falta de pagamento de salários, mas, por ora, não está posto em causa o prazo final da obra, Novembro de 2012", escreveu fonte da empresa.

A construção da ponte sobre o Rio Ocreza começou há cerca de um ano e está já na fase final dos trabalhos, sendo que os atrasos nos pagamentos acontecem há cerca de seis meses, referiu Mário Carvalho.

Depois de várias queixas aos responsáveis pela obra, os trabalhadores decidiram parar na quinta-feira, a seguir à hora de almoço.

"Estamos no local da obra, a cumprir horário", sublinhou esta manhã o encarregado da obra.



lusa