A Polícia Judiciária da Guarda deteve três homens de 27, 37 e 46 anos, dois deles desempregados, por suspeita da autoria de crimes de burla qualificada e posse de armas proibidas.

O Departamento de Investigação Criminal da Polícia Judiciária (PJ) da Guarda refere, em comunicado, que dois dos suspeitos "farão parte de um grupo responsável pela aquisição fraudulenta, com recurso a meios de pagamento e garantias falsos, de material têxtil no valor de cerca de 100 mil euros".

Os factos ocorreram no mês de junho e lesaram um comerciante da zona da Covilhã, adianta.

Durante a investigação, a PJ recuperou "grande parte do material ilicitamente obtido".

A mesma nota refere que foram realizadas diversas diligências probatórias, "das quais resultaram a apreensão de um conjunto de cheques pertencentes à conta bancária utilizada pelos detidos para simular o pagamento".

No decorrer das diligências, os investigadores encontraram um terceiro elemento, na posse de várias armas proibidas, que também foi detido.