O casal internado no Hospital de Vila Real por eventual ingestão de cogumelos venenosos morreu este sábado, revelou Heitor Ribeiro, presidente da Junta de Poiares, Régua.



O casal, de 68 e 67 anos, estava internado em estado crítico na Unidade de Cuidados Intensivos do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD).

Três pessoas, pais e filho, deram entrada na terça-feira no hospital apresentando um quadro de disfunção hepática aguda, por alegadamente terem ingerido cogumelos do género 'amanita-phalloides'.

De acordo com fonte hospitalar, a "situação global dos doentes foi considerada crítica, com admissão em cuidados intensivos, com programa de tratamento que contou com a colaboração da Unidade de Hepatologia do Hospital Geral de Santo António".

O filho de 42 anos faleceu na sexta-feira, e foi enterrado hoje, em Vila Seca de Poiares, Freguesia de Poiares, concelho da Régua.

O presidente da Junta de Poiares, Heitor Ribeiro, confirmou que o casal acabou por morrer também e vai a enterrar segunda-feira, na aldeia de Vila Seca de Poiares.

Este foi o primeiro caso do género conhecido este ano na região de Vila Real, mas, praticamente todos os anos acontecem casos de envenenamento por cogumelos em Portugal.

Duarte Marques, da Aguiarfloresta - Associação Florestal e Ambiental de Vila Pouca de Aguiar, explicou que o 'amanita-phalloides' é "muito venenoso" e "normalmente fatal, caso o diagnóstico seja demorado e não seja identificado a tempo".

É ainda um dos cogumelos que mais confusões gera, porque possui cores muito comuns com outros fungos comestíveis. Este fungo venenoso possui um chapéu côncavo, de cor amarelado esverdeado, possui lâminas por baixo e tem um pé rectilíneo e direito e uma base redonda e grossa.

cm