O ditado "lar doce lar" há muito que não se aplica nas casas de Marco de Canaveses. Os dados revelam que o interior das moradias tem sido o alvo preferencial dos ladrões durante este ano. Só de Janeiro a Agosto já se registaram 89 roubos a casas, mais 35 do que em igual período de 2011.



"No início do ano entraram em minha casa e levaram ouro e o computador. Desde esse dia que tenho muito medo, até coloquei fechaduras de segurança", disse Célia Moreira, de 45 anos. Também Maria da Conceição, uma outra moradora, não esconde o receio em que vive. Nunca foi assaltada, mas teme ser a próxima vítima dos ladrões. "Tenho muito medo do que possa acontecer, de um momento para o outro as pessoas ficam sem nada, é triste mas já nem nas casas nos podemos sentir seguros", adiantou.

Mas não são só os furtos que preocupam. Os casos de violência doméstica também têm aumentado bastante em Marco de Canaveses, em especial na freguesia de Alpendorada. Quase todas as semanas chegam relatos de violência às autoridades, tendo nos primeiros meses deste ano sido registados já 79 casos.

DISCURSO DIRECTO

"DESEMPREGO PODE LEVAR AO CRIME", Manuel Moreira, Presidente da câmara

Correio da Manhã - Acha que Marco de Canaveses é uma cidade segura?

Manuel Moreira - Acho que é uma cidade segura e, em sete anos como presidente, não tenho tido a indicação de que as pessoas vivam com medo. Apesar disso, tenho procurado sensibilizar os governos para que haja um reforço do efectivo policial nos dois postos da cidade.

- Na sua opinião a que se deve a vaga de furtos a casas?

- Penso que estará relacionada com o período difícil que o País está a atravessar. O flagelo do desemprego está muito presente neste concelho e as dificuldades económicas podem levar a este tipo de crime.

- Que medidas a autarquia tem tomado para aumentar a segurança?

- Contamos com a presença da Polícia Municipal que tem também o papel de zelar pela segurança e bem-estar dos munícipes. Temos ainda realizado várias campanhas de sensibilização.

cm