"Fizeste sexo com a minha irmã e agora tens de pagar". Foi com estas palavras que o moldavo abordou um taxista de Lagos, a quem, mediante ameaça de contar tudo à sua mulher, bem como de apresentar queixa por violação, tentou extorquir oito mil euros. O estrangeiro e um primo, seu cúmplice, começam hoje a ser julgados no Tribunal de Lagos.



Os factos remontam a Março de 2009, quando o moldavo, acompanhado do primo, contactou a mulher da vítima e lhe disse que chamasse o marido para "falar com ele". Na conversa, o taxista garantiu que tinha sido a irmã do arguido que o tinha procurado e quisera ter sexo com ele. O moldavo respondeu que "isso não interessava" e obrigou a vítima a ir ao banco, para levantar todo o dinheiro que tivesse. O taxista entregou-lhe três mil euros, mas o moldavo exigiu mais cinco mil. A vítima queixou-se à polícia, que deteve o arguido no Retail de Portimão, onde os dois homens iriam receber o resto do dinheiro.

cm