Baleada quatro vezes pelo pai, em Julho do ano passado, em Almada, Diana Santos, uma médica do Hospital de Évora, ficou tetraplégica. A jovem de 28 anos ainda não recebeu qualquer indemnização por parte do pai, uma vez que este recorreu da pena de 17 anos de prisão a que foi condenado.



A família lançou agora um pedido de ajuda: Diana necessita urgentemente de angariar dinheiro para uma experiência de naturopatia que está a ser levada a cabo numa clínica em Herisau, na Suíça, e que lhe poderá devolver a mobilidade dos braços.

A jovem médica necessita ainda de fazer uma cirurgia ao maxilar, uma vez que um dos tiros lhe destruiu uma articulação. A intervenção terá de ser realizada em breve, de forma a permitir que Diana se alimente sozinha, e também para impedir que perca a fala.

"Qualquer quantia com que possam contribuir é preciosa para as esperanças e expectativas da Diana, e por favor não deixem de contribuir", apelam amigos e familiares, numa mensagem divulgada na rede social Facebook.

Diana foi alvo de uma tentativa de homicídio por parte do pai, António Santos, antigo fuzileiro da Marinha, que não aceitava a relação que a filha mantinha com um empregado de mesa.

A jovem médica esteve internada vários meses no Hospital Garcia da Orta, em Almada, e actualmente está aos cuidados da mãe, que tem feito todos os possíveis para que Diana recupere. A indemnização não foi ainda paga, uma vez que foi interposto um recurso no Tribunal da Relação de Lisboa.

António Santos pode ainda protelar o pagamento, recorrendo depois para o Supremo Tribunal de Justiça. Não é certo, no entanto, que tenha bens ou dinheiro para indemnizar a filha.

cm