perda de Paulo Esteves, de 41 anos, vítima de ataque cardíaco após ficar preso numa derrocada de pedras e terra quando construía um muro na vizinha freguesia de Vilela. Paulo era solteiro, vivia com os pais. A família ficou em choque.



"Era o pilar da família. Os pais e os irmãos estão de rastos", disse ao CM, sem conseguir conter as lágrimas, a tia Patrocínia Esteves. Paulo trabalhava há vários anos na empresa de construção do cunhado e foi precisamente ao serviço deste familiar que ontem, pelas 09h20, ficou soterrado quando construía um muro de suporte na casa de um emigrante, na rua de Faquiães, em Vilela, Amares.

Uma pedra de grande porte terá caído sobre o terreno onde Paulo trabalhava e o operário não teve tempo de fugir. "Ficou preso por uma perna e ainda falou, mas com a aflição acabou por morrer", contou ao CM um vizinho da obra. O cadáver foi removido pelas 11h00.

cm