Os quatro navios eram da Marinha de Guerra Portuguesa e pesam mais de cinco mil toneladas. Os explosivos para os fazer afundar no mar vieram dos Estados Unidos. O espectáculo de afundamento de dois dos navios, que vai ter direito a fogo-de-artifício, vai acontecer hoje ao largo de Alvor.



São estes alguns dos pormenores da operação que vai colocar no fundo mar a corveta ‘Oliveira e Carmo (1430 toneladas e 85 metros) e o navio-patrulha ‘Zambeze’ (292 toneladas e 44 metros), a 5,5 quilómetros da barra de Portimão.

O afundamento, ao que o CM apurou, vai ser feito com explosivos importados dos Estados Unidos e foram alvo de uma licença especial para o efeito. "São explosivos de recorte que vão aquecer intensamente a chapa e fazer os buracos. São amigos do ambiente porque não têm chumbo", assegurou ao CM Luís Sá Couto, promotor do projecto ‘Ocean Revival’, que estima que, em dez anos, possam procurar a região oito vezes mais mergulhadores do que os dez mil anuais. Os quatro navios vão criar um parque subaquático e uma estrutura de recifes artificiais.

A Marinha vai controlar as operações. A corveta ‘Oliveira e Carmo’ irá para o fundo às 11h00, o ‘Zambeze’ às 15h00. A fragata ‘Hermenegildo Capelo’ será afundada em Março de 2013 e o navio ‘Almeida Carvalho’ em Junho.

cm