Dez pessoas já foram enterradas no passeio do cemitério de Panque, em Barcelos, por falta de outro espaço disponível, mas em 2013 aquela estrutura vai "finalmente" ser ampliada, ganhando 46 novas sepulturas, informou nesta segunda-feira o autarca local.



Segundo António Costa, a Junta de Freguesia foi obrigada a socorrer-se do passeio para instalar 10 sepulturas, "embora, neste momento, já nem no passeio há espaço".

"Não temos qualquer sepultura para vender, nem temos espaço para instalar mais nenhuma. Se morrer alguém que não tenha o seu espaço no cemitério, vai ter de ser enterrado em sepultura alheia", referiu.

O presidente da Junta de Panque admitiu que a utilização dos passeios para instalar sepulturas é uma "situação caricata e muito desagradável", motivando queixas da população.

"As pessoas queixam-se e com toda a razão", disse.

António Costa está a cumprir o seu oitavo mandato na Junta de Panque, tendo a ampliação do cemitério feito parte do seu manifesto eleitoral "a partir da terceira ou quarta" eleição.

"É uma aspiração antiga da freguesia. Mais do que isso, como se vê agora, é uma necessidade inadiável", afirmou.

A concretização da ampliação começou a ganhar forma em 2006, com a compra dos terrenos, por 75 mil euros.

Em 2007, o projecto ficou pronto, prevendo um investimento de 400 mil euros, já que incluía ainda uma capela mortuária e outros arranjos urbanísticos.

Entretanto, a obra "foi ficando sempre na gaveta", mas em Janeiro "vai finalmente avançar", com um projecto reformulado.

O investimento, de 120 mil euros, permitirá a criação de 46 novas sepulturas, que "resolverão o problema" da freguesia "por algumas décadas".

cm